Life in a Day, uma reflexão sobre como cada um de nós está apenas vivendo a própria vida e o que isso tem a ver com criatividade

Passei os últimos dias mergulhada em uma reflexão que quero compartilhar com vocês neste artigo. O Life in a Day, ou melhor, A Vida em um Dia, é um documentário composto por vídeos selecionados que mostram o que acontece em vários lugares do mundo, em um só dia. Desde que fiquei sabendo da existência do projeto, achei incrível. Pensar em como somos insignificantes sempre me fez querer ir além. 

Perceber o tanto de acontecimentos que cabem em um só dia e como as pessoas podem ser tão diferentes em sua particularidade, me faz pensar sobre algumas questões da vida criativa:

Quantas vezes medimos nossa criatividade com base na vivência do outro?

Como é possível definir o que é ser criativo se cada um de nós vive de um jeito?

Vale a pena ficar tão preocupado com o que os outros vão pensar do nosso trabalho criativo, sendo que eles estão ocupados demais vivendo a própria vida?

Essas e muitas questões me acompanham desde que comecei a estudar sobre criatividade, mas é louco como cada questionamento surge quando deve aparecer. Ai, fico até arrepiada! Respondendo alguns e-mails esta semana, cheguei a newsletter do Think With Google, que falava sobre um Life in a Day mais recente, uma sequência do primeiro. No dia 25 de julho de 2020, pessoas do mundo todo se uniram para compartilhar experiências únicas e autênticas. 

No maior estilo a-vida-como-ela-é, tem vídeos para todos os gostos! De um casal tentando engravidar a partir de uma inseminação artificial até alpinistas no topo de montanhas, todos eles mostram uma coisa em comum: pessoas vivendo a própria vida. Todas ocupadas com a sua individualidade. São histórias únicas, de seres peculiares, vivendo em lugares diferentes e em contextos exclusivos. Essas narrativas me deram a certeza de que existe um espaço no mundo reservado para cada um de nós fazer o que bem entender.

Não é à toa que a música “Poeira Estelar”, da banda Fresno, é uma das minhas preferidas. Essa sempre foi a grande questão da minha vida. Como o mundo é grande demais para nossos medos pequenos. Somos poeira diante de um turbilhão de coisas que rolam por aí, mas, em nosso cotidiano, nos tornamos ferramenta de transformação. A maior delas. A mais poderosa. Aquela que é capaz de fazer tudo acontecer dentro do seu espaço. 

Se você quiser conferir os vídeos antes de seguirmos no papo, é só clicar aqui.

Com vidas tão particulares, não deveríamos gastar tempo com comparações ou medo de julgamentos. Nossas ideias existem porque nosso contexto existe. 

Ao assistir o vídeo do Life in a Day, uma luz acendeu na minha cabeça: se comparar é uma burrice. É claro que não é porque sabemos que é ruim, que conseguiremos deixar de fazer, mas a consciência de que é impossível ter o resultado igual ao de outras pessoas é um bom começo. Não vivemos as mesmas 24 horas, precisamos nos lembrar disso ao longo do processo que é existir. 

Pense por um instante:

O seu dia não é vivido da mesma forma que o dos outros. Como as ideias podem ser julgadas da mesma forma? É como colocar uma linha de chegada para corredores que partiram de pontos diferentes. Injusto! 

Por que tentamos ter ideias parecidas com a de pessoas que admiramos, se vivemos vidas diferentes? Fazemos isso de forma consciente ou inconsciente? 

Qual é o sentido de querer seguir um padrão de sucesso, se cada pessoa ao redor do mundo existe de uma forma? O que é ter sucesso? Como é fazer do jeito certo?

São muitas perguntas, eu sei, mas é que minha cabeça anda fervendo de perguntas sem respostas. Acredito que os questionamentos geram mudanças. Então, você sabe, eu não posso guardá-los só para mim! #MáximaProvocação 

Pessoas diferentes têm ideias diferentes, porque têm repertório diferentes e processos de criação diferentes. Essa individualidade nos faz únicos e torna nossa criatividade poderosa. Duas coisas não podem existir da mesma maneira, mas podem colaborar para que uma terceira seja mais incrível. Cada dia mais me convenço de que a forma mais proveitosa de viver a vida criativa é pensar menos em comparar e mais em compartilhar e inspirar. 

Quando você olha para o mundo dessa maneira, as coisas passam de “boas” ou “ruins” para úteis ou não dentro da vida criativa. Se você estiver livre do peso de ser melhor ou pior do que uma outra pessoa – que está vivendo suas próprias 24 horas – terá mais espaço para ser criativo apenas pela satisfação de ser. Ainda vou além: só quando se convencer de que cada ser humano é único em sua maneira de ser e viver, sua criatividade poderá aflorar. Não tem teoria, muito menos técnicas ou hacks, que façam tão bem para sua capacidade de criar quanto esse entendimento. 

Dito isso, quero deixar um conselho de coração: crie o projeto que você gostaria de ver por aí. Solte as ideias que acredita para o mundo! Meu maior interesse com o Biig Bag era criar um espaço para fazer com que as pessoas se descubram criativas e transformem sua realidade com seus projetos criativos. Há alguns anos, procurei algo exatamente assim, não encontrei e decidi criar o meu, do meu jeito. Não tenho garantias de que vai dar certo, mas estar envolvida com ele aquece o meu dia. 

Quando você trabalha com o que acredita, não apenas com o que conhece, existe mais espaço para as ideias florescerem. No livro Roube Como um Artista, Austin Kleon diz “Desenhe a arte que você quer ver, comece o negócio que quer gerir, crie os produtos que quer usar – faça o trabalho que você quer ver pronto”. A preocupação com o que as pessoas vão pensar não precisa existir, já que elas estão ocupadas demais vivendo seus próprios dias. 

Um dia de 24 horas faz parte de uma vida que deve ser vivida com inspiração. O mundo está à nossa disposição esperando para ser explorado! 

Te garanto que milhões de coisas acontecem em um só dia, mas poucas são percebidas por você. Se tiver uma rotina apertada, então, pior ainda! Fica difícil mesmo reparar na infinidade de ideias que estão do seu lado. Embora seja complicado, ter um olhar atento é necessário – para viver com mais leveza e de forma mais criativa. 

O dia da pessoa que você admira tem a mesma quantidade de horas que o seu. A diferença está no que é visto. O que é observado forma uma vida mais inspiradora. Um criativo que tem muitas ideias é aquele que anda por aí à procura do que roubar. Quando sair na rua, preste atenção nas pessoas que cruzam seus caminhos. Consegue imaginar quantas histórias cabem naquelas vidas? Essa capacidade de pensar sobre o que está ao nosso redor nos torna mais sensíveis e, por consequência, melhores criadores. 

Eu, como sou muito chique, gosto de pensar que tudo o que existe no universo está ao meu dispor. A partir do momento que penso dessa forma, tenho insumos de sobra para criar. Até sofro com bloqueios criativos, mas com a falta de materiais para produzir não: o mundo me entrega algo novo a cada hora marcada pelo relógio. Gostaria que você tentasse pensar assim de hoje em diante. 

Todos os dias, você se levanta e tem a sua vida para viver. Isso já é algo mágico, mas quando penso que temos a possibilidade de imaginar e criar uma nova realidade, dentro das nossas 24 horas, fico ainda mais encantada com a criatividade. É bem verdade que não tem sido fácil viver no último ano, mas ainda podemos recorrer aos nossos pensamentos para encontrar mil e uma maneiras de se renovar e viver uma vida mais leve, na medida do possível. Te convido a olhar para o seu potencial com carinho e despertar essa magia que existe dentro de você. Topa? <3 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *