Como desenvolver a criatividade: 4 coisas que ajudam nesse processo

Antes de falarmos sobre como desenvolver a criatividade, quero te lembrar de uma coisa:  essa é uma habilidade inata do ser humano – nascemos com a capacidade de imaginar. 

Rebobine a memória mais um pouco e você irá se lembrar de como vivemos engajados em descobrir coisas novas e criar maneiras diferentes de utilizar o que já existe enquanto somos pequenos. A grande questão-drama-universal-da-vida é que depois que nos tornamos adultos, ser criativo torna-se uma construção que precisa de uma mão de obra qualificada e materiais de qualidade para se sustentar em pé. 

A criatividade é a capacidade produzir alguma coisa nova a partir da combinação do que já existe. Sabe quando falam que você criou alguma coisa do nada? Não é exatamente isso que acontece, na verdade, o que rola é que a pessoa foi criativa o suficiente para perceber um potencial de aplicação diferente do que já existe – seja para uma ideia, recursos, serviços, informação… Para conseguir fazer isso, é preciso que você esteja com sua criatividade aquecida, caso contrário, olhará para as coisas que já existem e não verá nada além do que está ali. 

Da mesma maneira são as oportunidades na vida pessoal ou profissional, se você não é criativo para perceber tudo o que pode ser feito, acaba não fazendo nada. 

Um pensamento criativo é capaz de encontrar diferentes soluções para qualquer tipo de problema. Já percebeu como isso parece tão simples para as crianças? Elas têm uma resposta rápida para tudo, porque não filtram o que pode parecer inadequado. Quando somos pequenos, estamos com nossa criatividade a todo vapor e somos mais liberais com nossos pensamentos. 

Enquanto não nos tornamos adultos, falamos sem pensar, encontramos soluções malucas, não temos medo de pedir ajuda e muito menos de oferecer uma solução. A parte ruim é que depois que somos educados por um sistema de ensino muito tradicional, escutamos conselhos nem sempre bons, não aprendemos a lidar com as críticas, recebemos influências das tradições, religião, costumes, ideologia e o resultado é o que vemos em todos os cantos do mundo: adultos bloqueados, que se esqueceram do quanto é libertador viver de maneira criativa. 

Se a criatividade existe, tudo flui e se transforma, se não, tudo permanece da mesma maneira, com o risco de estagnação.

Já que eu falei que a criatividade é uma construção, quero que você pense nela como uma casa bem grande, bonita e colorida, mas com um único problema: ela precisa de manutenção com frequência. Apesar desse grande empecilho, depois que você vive por alguns dias nessa casa, percebe que vale a pena investir nos materiais que sustentam a estrutura, porque estar ali é tão gostoso que o que parecia um bloqueio se torna um prazer.

É divertido tirar momentos para reformar o ambiente! 

Quais são esses materiais que servem para manter a construção e manutenção da criatividade em dia? 

Curiosidade:

Leo Burnett uma vez falou que “a curiosidade sobre a vida, em todos os seus aspectos, continua sendo o segredo das pessoas mais criativas” e eu não poderia encontrar uma maneira melhor para resumir o que a curiosidade faz pela criatividade. Ser curioso enriquece nosso repertório. Quanto mais você pergunta, busca informações, viaja para conhecer lugares ou se propõe a fazer atividades só para entender como elas funcionam, maior fica seu banco de referências. Sua “grande bolsa”, chamada cérebro, vai registrar tudo o que puder e quando você precisar resolver um problema, os registros servirão para formar a solução criativa. 

Imaginação:

A partir do momento que nos permitimos ser guiados pela imaginação, naturalmente, saímos dos esquemas habituais e rotineiros de nosso mundo, fazendo dele um ambiente mais divertido e inspirador. Explorar a capacidade de imaginar é o princípio básico para ser mais criativo, porque a partir desses pensamentos livres e fantasiosos, fica mais fácil encontrar respostas, seja qual for a questão. 

Se a curiosidade nos dá repertório, a imaginação nos mostra o caminho. Aliás, se você tem um sonho, vontade ou desejo, saiba que é a única pessoa capaz de imaginar uma maneira de realizá-lo. 

Coragem:

Vincent van Gogh disse que “se você ouvir uma voz dentro de si que diz ‘você não pode pintar’, então pinte, aconteça o que acontecer, e a voz será silenciada”. Isso é o que eu chamo de ser ousado para continuar fazendo o que precisa ser feito. Sinto te dizer, mas sem coragem será difícil ver as coisas se transformarem ao seu redor.

É preciso ser audacioso para manter opiniões e seguir caminhos imprevistos. Se você não estiver disposto a ser corajoso, é bem provável que fique em sua casa comentando sobre a coragem do outro. Boas criações nascem de criativos corajosos.

Paixão:

Nada como estar apaixonado para enxergar o mundo com mais cores, apreciar melhor os sabores e pensar em coisas agradáveis o tempo todo, não é? Com a criatividade é a mesma coisa. Se você está envolvido em uma atividade que faz seu coração bater mais forte, ter boas ideias ou dedicar a atenção que a tarefa merece se torna um processo tranquilo. O inverso também acontece. 

A partir do momento que se compromete com um trabalho que não é interessante para você, seja pelo dinheiro ou pela política da boa vizinhança, está jogando gotas de água na labareda da criatividade – uma hora ela se apaga. Se não existe paixão, o trabalho é mais cansativo, as ideias são sempre básicas e falta empolgação até para buscar inspiração. Sabe quando nenhuma referência parece interessante?   

*Curiosidade aleatória: Um dos valores do Canal Big Bag é aprender para criar, porque para mim faz muito sentido que a pessoa desenvolva suas habilidades e crie suas oportunidades. Ninguém é feliz tendo que trabalhar com algo que não traz emoção. Então já que precisamos trabalhar, que sejamos criativos o suficiente para estar no melhor lugar possível! 

“Não há dúvidas de que a criatividade é o recurso humano mais importante. Sem criatividade não haveria progresso e nós estaríamos repetindo sempre os mesmos modelos.”

Edward de Bono

Como desenvolver a criatividade – Trazendo para a realidade: 

  • Busque sempre descobrir as razões por trás das coisas;
  • Faça um check-up semanal para entender se a sua rotina foi monótona demais ou se trouxe novos aprendizados;
  • Evite negar convites, atividades e propostas só porque nunca teve contato com o tema antes;
  • Dê mais ouvidos aos seus sentimentos. Está se sentindo “de saco cheio”? Tente entender o motivo ao invés de dormir para melhorar;
  • Quando estiver em locais públicos ou participando de uma conversa, saia do celular e esteja presente no momento, escutando e observando tudo com atenção;
  • Se possível, tenha projetos paralelos. Eles são ótimos para desenvolver suas habilidades profissionais sem a barreira da pressão pelos resultados;
  • Utilize mapas mentais para organizar suas ideias;
  • Não pare de buscar conhecimento e explore tudo o que há na internet;
  • Leia bastante, mas tenha um caderno para escrever sua opinião sobre o livro quando finalizar a leitura. 
  • Tenha hobbies e seja fiel aos seus horários de relaxamento (ficar no celular não conta!).

Apesar da criatividade ser algo acessível para todos, tem uma galera que não se considera criativa. Sabe o que é mais triste do que não saber como desenvolver a criatividade? A maioria das pessoas não tem noção de que pode contribuir com ideias que poderiam promover mudanças no mundo.

A boa notícia é que a capacidade de ser criativo é algo melhorável, treinável e que pode ser potencializado todos os dias. O importante é não deixarmos de acreditar e propagar a criatividade por aí!  Espero que este artigo tenha te ajudado a entender como desenvolver a criatividade.

 Se quiser bater um papo sobre o assunto é só chamar! 😉  

2 thoughts on “Como desenvolver a criatividade: 4 coisas que ajudam nesse processo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *